Saiba tudo sobre as regras do financiamento imobiliário

Me ajuda, TPA!
10 de junho

Apesar da casa própria ser um sonho da maioria dos brasileiros, muitos encontram dificuldades para conquistá-la. Em meio às dificuldades financeiras, principalmente por conta da crise, o financiamento imobiliário é o caminho que muitos encontram para realizar esse sonho.

Encurte caminhos na hora de realizar o seu sonho | Foto: Banco de imagens

A medida funciona da seguinte maneira: o banco paga o valor do imóvel ao proprietário e o comprador paga ao banco, em parcelas, como uma espécie de empréstimo. Em um financiamento, o cliente dá um valor de entrada e parcela o restante.

Como todo processo burocrático, financiar um imóvel gera diversas dúvidas. Muitos não sabem como funciona ou como fazer para participar. Por isso preparamos este artigo com as regras do financiamento imobiliário.

Tipos de financiamento imobiliário

Antes de saber as regras e como financiar sua casa ou apartamento, é importante entender os tipos e as diferenças entre eles. No Brasil, as formas de financiamento mais utilizadas são o Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI).

O Sistema Financeiro de Habitação foi fundado pelo governo e tem como objetivo facilitar o acesso a financiamentos imobiliários, principalmente por famílias que não têm condições. O programa “Minha Casa Minha Vida” faz parte do SFH.

O Sistema Financeiro Imobiliário foi também criado pelo Governo Federal e geralmente financia imóveis que custam a partir de R$ 950 mil. Como o SFI é voltado para preços mais altos, os juros também são maiores para essa modalidade.

Regras para conseguir um financiamento

Para fazer um financiamento imobiliário, não basta apenas solicitar. Existem algumas regras para participação. A primeira delas é sobre o solicitante estar apto para o financiamento: os bancos verificam se a renda do comprador é compatível com o valor do imóvel, se o nome está limpo e não tem pendências com a justiça. Além disso, existem regras diferentes para cada tipo de financiamento.

Saber as regras do jogo tornam o financiamento bem menos complicado | Foto: Banco de imagens

Para participar do Sistema Financeiro de Habitação(SFH), o imóvel deve custar até R$ 950 mil, o comprador deve ser uma pessoa física . O valor é dividido em até 35 anos, e cada parcela deve comprometer no máximo 30% da renda total. Quanto ao Sistema Financeiro Imobiliário, o prazo para a quitação também é de até 35 anos, mas diverge do SFH em outros pontos. Pessoas físicas e jurídicas podem recorrer a esse financiamento e a renda comprometida não tem um limite.

Dicas para evitar complicações no financiamento imobiliário

Financiar um imóvel é um processo burocrático e até cansativo? Sim. Mas é possível passar pelo processo sem dores de cabeça com alguns cuidados. A primeira dica é fazer um planejamento financeiro e de toda a documentação necessária. Isso vai livrar você da correria que é deixar tudo para última hora.

Outro ponto que você deve ter atenção é as condições de cada banco: compare e escolha o que mais se encaixa às suas necessidades. Por último, tenha cuidado com dívidas. Você pode perder o seu imóvel, caso atrase muitas parcelas. Para que isso não aconteça, calcule bem seus gastos e estabeleça prioridades.

Depois de ler este artigo, fazer um financiamento imobiliário ficou muito mais fácil. Se você ainda tem alguma dúvida sobre o assunto, deixe nos comentários. E para saber mais sobre tudo o que envolve imóveis e sobre a cidade de São Paulo, continue acompanhando nossos conteúdos.